Páginas

14 de out de 2013

                 Como anjos caídos, nossas almas estilhaçaram-se ao tocar o chão. Dor. Rápida e sutil. Nossos pedaços espalharam-se ao vento. Fomos nos distanciando. A cada minuto que passava-se nossa história apagava-se de mim. Não havia controle, você tornava-se apenas um borrão. Um misto de sentimentos e cores sem sabores, sem emoções. Tudo era vago, vazio... Aos poucos havia apenas escuridão... Teu cheiro havia esvaído-se, tua lembrança parcialmente apagada.  Assistia a solidão e o destino rindo ao meu lado. Os dados haviam rolado e o sorriso irônico deles convenciam-me que isso era o resultado da jogada. Sentia minha alma trêmula, incrédula, e tudo o que eu temia era saber qual seria aproxima jogada.

Um comentário:

  1. Olá, como estás?

    Não sei se te recorda s de mim, sou a autora do blogue "Não procurei pelos teus olhos", pus esse blogue privado pois faz parte do passado e criei agora um novo, ei-lo:

    http://odesassossegodosilencio.blogspot.pt/

    Quando puderes, e se quiseres, visita. serás muito bem-vinda.

    Andei afastada deste mundo mas agora pretendo voltar e começar de novo a entrar no ritmo dos blogues, lendo as novidades, comentando e etc. :)

    Beijinho

    ResponderExcluir