Páginas

31 de ago de 2013

Eu tenho medo de setembro, porque setembro me assusta, pois tenho medo do futuro e o futuro é amanhã. Era tarde de noite ela se perdia em seus pensamentos, se perdia em um maço de marlboro gold em cima da instante. Não era mais o passado que a assustava mas sim o medo do passado se repetir, que arrepiava até mesmo os pelos de seu corpo.


Sua beleza que não era comum, era diferente. 
Pele escura, cabelos duros e enrolados, cor do pecado. 
se soubesse como te quero, não esqueceria de por meu nome...
Menina, oh querida, se tu soubesses como eu a desejo, 
se soubesse como te quero, não esqueceria de por meu nome
naquela velha carta velha que se esqueceu de me enviar. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário