Páginas

12 de jul de 2010

Silêncio

Me congela o peito saber que nem sempre as coisas são como eu quero, que nem tudo gira em torno de mim. Porque não pode ser tudo como antes. Eu era feliz, eu sei disso, mais nunca dei o valor devido. Nunca tinha me indagado a saber como é que a vida acaba. Agora vi que com meus próprios olhos o fim, chegou e levou quem eu mais amava de mim, agora estou aqui, e os que me acompanham são apenas a ausência de carinho, a dor da saudade e o silêncio, que nunca vão me abandonar.
Sorria em quanto pode, porque tudo 
acaba quando menos esperamos.

Um comentário:

  1. Tudo é tão frágil, como taça de cristal, onde inicialmente parece inteira, mas com apenas um som mais forte, uma vibração maior... Tudo acaba em pedaços. E mesmo tentando colar estes pedaços de volta, tal taça nunca mais poderá receber nenhum líquido. Preenchida apenas pela ausência.

    ResponderExcluir