Páginas

3 de jul de 2010

Olhares perdidos.



Dizem que as pessoas não sonham acordadas, mais eu acredito que elas sonhem, acredito que tudo aquilo que sabemos que não vai acontecer e temos alguma esperança é um sonho doce e as vezes cruel, todas as expectativas daquela ligação que no fundo eu sei que nunca vai tocar e um tipo de sonho, que me desgasta e ao mesmo tempo que me alegra acaba me deixando triste pelo simples fato de não ser a realidade.


Por horas encarei a janela pensando em um jeito de ter trazer para perto de mim, corri em ruas escuras para tentar esquecer de você e daquele maldito beijo que você me deu, nem ao menos eu sabia o que estava acontecendo, não conseguia confiar em ninguém suficiente para revelar tamanha intimidade, meus sentimentos para uma pessoa que me decepcionaria como todos os outros, sabia que não podia confiar em ninguém, aquele beijo e todas as palavras bonitas, parece besteira, sou uma pessoa fria e não sinto ciúmes das pessoas, mais te ver com outras garotas desperta as borboletas em meu estômago que a tanto tempo descansavam, nem ao menos entendi aquela noite de chuva, trocas de sorrisos e palavras doces, até que você veio e me pegou em seus braços e me deu um beijo ardente que me tirou o sono por três dias, foi como despertar em mim algo que nunca tinha acontecido de verdade, algo mágico, melhor que todos os beijos, mais depois de tudo que passamos te ver aos beijos com a garota mais linda do colégio que a qual eu nunca poderia competir, com a qual eu nunca poderia me igualar me destroçou por dentro, me olhou e fingiu que nem ao menos me conhecia, será que tudo aquilo foi em vão? Será que meu destino está marcado para que todas as pessoas que se aproximem de mim me decepcionem? O relógio marcava três da manhã e mais uma vez não conseguia dormir pensando em você, a coisa mais sensata a se fazer era te apagar da minha vida, como fiz com todos os outros, te apagar e me arrepender depois, como todas as vezes, acabar com aquela angustia que sentia no peito, então ainda de madrugada decidi colocar para fora tudo para fora, peguei uma velha caneta e um papel velho e comecei a escrever que o odiava mais não estava conseguindo mentir  para mim mesma, chorei desesperadamente em uma noite que todos já estavam em seus mágicos sonhos e eu vivendo meu pesadelo, agora já eram quase sete horas decidi então nada demonstrar e sorrir e continuar assim até eu ter vontade de me matar por você, até que mais uma vez eu escreva em noite melancólica, até despertar minha fúria, e então conseguir sorrir querendo chorar.



-E mais uma vez peço perdão pelas palavras que escrevi, elas não são reais, qualquer semelhança com a minha vida é mera coincidência, isso não é um desabafo porque seria desgastante ter que explicar as pessoas sobre tudo o que eu não tenho coragem de falar. 

8 comentários:

  1. Oi Camila (:
    também adorei o blog de vc's
    Volte sempre ^^

    2beijos;*

    ResponderExcluir
  2. amei seu cantinhooo!
    to seguindo flor :)

    ResponderExcluir
  3. Mas vai chorar porque? rgue a cabeça e sai andando.

    ResponderExcluir
  4. Eu AMEI o texto! *-*

    Beijooo <3

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu blog, lindo demais
    bjo
    http://1umpoucodetudo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. WOOOW! Isso que é texto de descoberta. Lindo.
    xx

    ResponderExcluir
  7. Interessante.Sobre o final nao se preocupe em tentar explicar o que nao tem coragem de falar. Tem certas coisas que são tao pessoais que nao merecem ser ditas,pois são só nossas!

    ResponderExcluir