Páginas

13 de jul de 2010

A hora que o trem passar

Enfim, nunca poderia me imaginar escrevendo esse texto a um ano atrás, era como se eu fosse triste naquele tempo e não tivesse percebido como era feliz, não guardo mágoas, não tenho raiva de ninguém e não me arrependo de nada, afinal o que ficou para atrás ficou.

O despertador hoje não me acordou, perdi seis horas da minha vida, não sei o que eu poderia ter feito com elas, essas seis horas me proporcionaram um sonho bom, um sonho com pessoas que não vejo a muito tempo e algumas não poderei rever, sei que é difícil falar sobre isso, mais as pessoas morrem, mais vivem em minhas lembranças, doces lembranças, o despertador não ter tocado me faz parar para pensar que o mundo não para, não espera por ninguém, a partir do momento que você foge do que você quer fazer, o destino de substitui como em um teatro, o teatro nunca para, trocam se os personagens mais as histórias são eternas, me dei conta que ainda existe esperança dentro de mim quando olhei minhas meias coloridas que andavam sem graça, foi como despertar de um sonho bom e acordar e perceber que a realidade está passando sem mim, o trem não espera aquele que se atrasa e nem aquele que não quis partir, fico por aqui a espera que o trem passe por mim e dessa vez eu não vou me atrasar e nem fugir do meu destino. 

Um comentário:

  1. camila, obrigada pela visita no meu blog =)

    posso fazer uma critica construtiva? tente colocar mais pontos finais no texto, é um pouco cansativo para o leitor. você não colocou nenhum em todos o parágrafo, não sei se foi proposital.

    nossa, sua foto é linda, o layout também.
    adorei *-*

    ResponderExcluir