Páginas

14 de ago de 2012

O vento ainda trás a vaga lembrança do teu perfume, que não cobre mais meu corpo. Eu queria acreditar que nós éramos uma perfeita simetria. Entretanto, tornamo-nos apenas objetos obsoletos, preenchidos pelo vazio avassalador. Todas as noites, eu tentava enganar meu coração dizendo que ainda podiamos ser felizes, mas eu estava apenas criando uma alusão traiçoeira. Éramos frios, distantes e nossos corpos não carregavam um prazer do amor. No fundo, éramos apenas duas almas solitárias, desesperadas por um pouco de calor. Calor que aos poucos apagou-se e deixou apenas um frio interno.




3 comentários:

  1. É o fim, sempre triste fim, mas aliviador.

    Flores!

    ResponderExcluir
  2. Isso me dá medo. Entender as coisas erradas. Por isso é tão perscrutar a alma do outro.

    ResponderExcluir
  3. A chama que se apaga sempre traz consigo a escuridão da solidão. Triste fim.

    Beijo!

    ResponderExcluir