Páginas

12 de dez de 2011

O alívio do recomeço

Eu soltei sua mão como quem solta um suspiro. De forma inesperada e talvez, aliviante. Não passava pela minha cabeça que o fim estivesse tão próximo e de repente, ele já havia chegado. Também não esperava que esse fim destruísse meu coração, mas sossegasse tanto minha mente cansada. É a solidão do término com a necessidade de liberdade de quem busca o oxigênio, após muito tempo sem respirar.

29 comentários:

  1. Ainda tenho em minhas mãos
    o cheiro das suas.

    ResponderExcluir
  2. oown obrigada pelo elogio *-* mas o seu blog é tão lindo! Sério, tem tudo pra dar certo (se já não está dando haha) *o*

    ResponderExcluir
  3. Caroline, e que tu ganhe os ares e respire o alento que nasce com o recomeço.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. às vezes bate o desespero, mas a paz toma o seu lugar.


    que lindo o blog de vocês, gostei muito, muito mesmo (: tô acompanhando.

    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Já passei por isso, não gosto dessa sensação.

    ResponderExcluir
  6. É necessário ter o caos cá dentro para gerar uma estrela.

    Adorei seu blog e já te sigo, segue o meu também?

    www.ameninaquesacudiapalavras2.blogspot.com

    beijos.

    ResponderExcluir
  7. qdo aprendemos a dar as maos e mesmo assim continuar respirando e que descobrimos um amor que nos faz bem. Do contrario, solte as maos quantas vezes for preciso. Lute por vc, sempre!

    adorei, beeeijos

    ResponderExcluir
  8. Não quero ter que recomeçar tão cedo. É um processo cansativo, sabe? A única coisa que salva é o alívio após ter passado por essa estrada fim-começo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Ultimamente, esse respirar me dói.

    ResponderExcluir
  10. Seus textos são lindos, quando eu os leio parece que eu estou vivendo o que está escrito, isso é o poder de poetizar.

    ResponderExcluir
  11. Não sei se você já reparou em como aquelas pessoas com aquelas maquinas de oxigênio acabam sufocando alguém e dando minutos angustiantes para elas quando elas começam a respirar por si mesmas. Então, é mais ou menos isso, no começo vai parecer insuportável porque você não está acostumada com essa liberdade, mas depois você aprende que nunca se desaprende a andar sozinho.

    ResponderExcluir
  12. Alguns amores sufocam, outros libertam. Dualidade tênue esta.

    ResponderExcluir
  13. Pra todo começo tem que haver um fim, doí agora, alivia depois.
    Muito lindo seu blog, adore.

    ResponderExcluir
  14. retribuindo a visita!
    tô seguindo o blog
    bjusss

    ResponderExcluir
  15. Retribuindo a visita, e virando a mais nova seguidora e leitora do blog.
    É uma das melhores sensações quando nos permitimos nos reencontrar. Esse é sem dúvidas o melhor caminho para conseguirmos encontrar quem verdadeiramente nos fará feliz, pelo menos até o tempo do próximo recomeço.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. O fim é a pior parte, ele nos faz sofrer demais. Às vezes é melhor que não haja começo.

    ResponderExcluir
  17. Adorei.. Lembre-se, talvez você só estava se livrando de algo que não lhe fazia bem =/

    ResponderExcluir
  18. Nossa, acho que vc em poucas palavras disse tudo de forma tão profunda. Gostei muito da sua forma de escrever, virei mais vezes. beijoooos

    ResponderExcluir
  19. Profundo. isso é desapego!

    Tati

    Beijo

    ResponderExcluir
  20. Olá! Passando para agradecer tua visita e convidá-la a visitar-me novamente. Não lembro se já havia comentado esta tua postagem, mas gostei muito a forma como descreveste a situação, é quase como ver um filme. Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  21. Que lindo o seu blog, obrigada pela visita!

    Adorei, vou passar sempre aqui!

    ResponderExcluir
  22. Amei, amo a beleza
    Tropecei muita vez na incerteza
    Transformei miséria em realeza
    Ri de contente e de tristeza

    Ri para os olhos que me deram amor
    Ri para o mar onde pesquei ilusões
    Ri em cada partida e chegada
    Que fiz numa vida de contradições

    Procurei o segredo da verdade feliz
    Percorri o caminho do vento cheio de ardor
    Uma gaivota entregou-me uma concha cheia de mar
    Era…O Elixir do Amor…

    Um mágico Natal

    Abraço-te

    ResponderExcluir
  23. CONVITE

    Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
    Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
    Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
    Abraços do
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir