Páginas

29 de mar de 2011

Falsidade mórbida

   O coração pulsa mais forte e você não é mais capaz de escrever, falar ou até mesmo chorar. A pulsação vai à mil por segundo e isso o lembra o quão frágil você é. A ostentabilidade que te fazia parecer insensível vai embora e nada importa mais. O mundo ao seu redor começa a sentir falta de algo ainda inexistente. O mundo ao nosso redor começa a sentir falta do "nós". O coração preenche o vazio.
   O sorriso vai de orelha à orelha, o estômago clama por uma pausa. As suas pernas procuram pelo chão e você passa a precisar de uma base. Você começa a dizer "não" querendo dizer "sim", você ostenta não querer para parecer mais forte. Você diz que não vai se entregar novamente, você finge que não está nem aí. Você diz que aprendeu com  relacionamentos anteriores e comete os mesmos erros.
   Você finge não fingir e não sentir. Mas o pior de tudo, é que você ainda se ofende ao ser chamado de falso.

3 comentários:

  1. É toda a verdade.. Mesmo que ficar sozinha seja na maioria das vezes a melhor opção, vai chegar uma hora que precisaremos de outra pessoa pra nos considerarmos completos. O que eu acho errado, pois deveríamos nos ''bastar''.. Lindo texto.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o todo o texto. Muitas pessoas tentam se esconder atrás de uma mentira ridicula para se afastar do amor, mas talvez seja por medo de sofrer novamente. Muitas pessoas não tem forças o suficiente para aguentar vários tapas de uma vez só. O amor é ótimo, mesmo assim machuca o dobro do que nos faz bem. Mesmo assim, não acho que seja a melhor forma fingir o tempo inteiro, você precisa se entregar e ser forte para aguentar as consequencias, isso faz parte da vida.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. O bom e velho "sorriso amarelo".

    ResponderExcluir