Páginas

15 de jun de 2010

No fim.

Momentos antes de seu fim, ele olhou para trás, viu suas pegadas no chão e desejou nunca ter-las feito. Sentou a beira de um precipício, e ficou lembrando de todo mal que ele já causou, se considerava um monstro, cruel e frio, decidido a acabar com aquilo tudo, bebeu o fim da vodka em seu cantil, e se atirou. Na queda só pensava, que um dia seria um anjo que ajudaria as pessoas ao invés de mal trata-las. Foi aí que aconteceu o baque, e assim ficou morto e sangrando, até que um dia alguém encontre seu cadáver e o jogue numa vala qualquer, ou, que algum animal acabe com seus restos.

3 comentários:

  1. Percebemos o quanto fomos cruéis sempre no final. Não que eu tenha morrido alguma vez (lógico que não, HAHAHA), mas no final que eu diga, o final do erro. Você entendeu, eu acho. Não sei explicar, haha.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que tenso! OIUEAUIOAEAUEIO

    ResponderExcluir
  3. é sempre assim, a gente só se da conta do quão fomos horríveis, depois de já não poder arrumar o que fizemos.

    Beijooos

    ResponderExcluir