Páginas

25 de mai de 2010

relatos de uma adolescente - parte 5.


Há fantasmas no meu espelho, pelo meu quarto, meus fantasmas, eles continuam a me perseguir em cada rua que passo, em cada noite de verão, cada tarde fria, minhas culpas, elas são os meus fantasmas, estão me consumindo a cada respiração ofegante que tenho, cada instante que passo aqui nesse mundo, onde as pessoas não conseguem se entender. Olho pela janela e só vejo as mascaras, mascaras lindas, cada uma com sua beleza, com sua essência, por dentro um retrato quebrado, por fora uma bela fotografia, as mascaras são as pessoas e o que elas representam, na verdade elas não representam nada, pelo menos para mim, é só apenas o que acredito, nem me lembro mais de todas as vezes que confundi o que sinto com o que sei,  nem me lembro mais daquelas meias coloridas que tanto me fascinavam ou das tardes depois de uma chuva de verão que eu esperava que se formasse aquelas cores, que se alinhavam em diferentes tonalidades que sempre acreditei que tivesse um tesouro no final de cada linha, daquele caminho longo, pelo menos para os meus pés, minhas asas estão se desmanchando a cada vôo, meu café esfria enquanto eu escrevo sobre a minha vida com um pouco de drama.  

Um comentário:

  1. Esses fantasmas teimam em nos assustar vida afora, Camila, mas a gente acaba percebendo que, em nosso mundo, eles não têm vez, né?
    Bjoooo!!!!

    ResponderExcluir